Educação financeira para filhos no Japão

Dicas de educação financeira para os filhos no Japão – O que aprendi na minha adolescência?

Olá meus otomodachis!

Neste artigo eu vou dar algumas dicas sobre educação financeira para o seu filho aqui no Japão!

Vou aproveitar esse momento, só nosso, e compartilhar algumas situações da minha adolescência que foram a base de uma vida financeira adulta saudável.

Se você já tem filhos e mora aqui no Japão eu tenho certeza que este artigo é para você!

Mesada e educação financeira para crianças

Quando falamos sobre educação financeira para crianças eu, particularmente, acredito que seja interessante introduzir a mesada. Mesmo que seu filho seja pequeno.

Mas porquê?

É muito importante que ele tenha noção do valor do dinheiro! Entendi, Clarisse. Mas em qual fase eu começo a dar mesada?

Bom, não tem uma fase ideal. Acredito que varia de família para família. Aqui apresento algumas sugestões que podem ou não fazer sentindo para você. Mas eu sugiro que você introduza a mesada quando seu filho começar a pedir por coisas, sabe?

Quando você está no caixa do mercado e seu filho olha para aquela prateleira cheia de guloseimas e os olhinhos dele brilham e ele pede “mamãe, papai, eu quero! ”. Na minha opinião é neste período que você pode começar a dar uma mesada e a ter as primeiras conversas sobre educação financeira.

Fazendo isso, da próxima vez que ele pedir por algo, você apenas responde “compre com a sua mesada”. Dessa forma, ele irá começar a entender que o produto que ele deseja precisa de dinheiro para ser comprado.

E é justamente essa a importância da mesada!

A mesada pode ser repassada em regime mensal (como se fosse um salário), semanal ou diário. É você quem vai decidir como será feito o pagamento. E cuidar desse dinheiro será de inteira responsabilidade dele.

Agora, um ponto importante!

Você, papai e mamãe, precisam ter o controle de quantos ienes entra e de quantos saem. Isso porque, apesar das crianças não terem gastos mensais como os adultos, é importante ter o controle de quanto seu filho recebe de mesada e de quanto ele gasta.

Sobre o valor da mesada: você pode conversar com os pais dos amiguinhos da escola do seu filho.

Converse com os pais, pergunte se eles dão mesada e de quanto ela é. Assim você pode igualar as mesadas evitando que exista uma diferença social entre as crianças. Lembrando, é apenas uma sugestão.

Aqui no Japão temos um grande privilégio. Nas escolas daqui podem até existir diferenças sociais, porém elas não são tão aparentes entre as crianças. Em uma escola todos os alunos são iguais.

No Shougakkou, por exemplo, todos os alunos vão com a mesma mochila justamente para demonstrar igualdade.

Transição infância – adolescência

Na pré-adolescência e adolescência acredito que seja o momento de negociar o valor da mesada com seu filho. Isso porque, à medida que ele for crescendo ele irá necessitar de um pouco mais de dinheiro.

Pense comigo.

Seu filho cresceu e começou a frequentar os Jyukus, que aqui no Japão é o equivalente aos cursinhos preparatórios pré-vestibulares do Brasil. Ele também começou a ter mais amigos e a sair mais. Possivelmente, até uma namoradinha ele têm (hahaha).

Consequentemente ele vai precisar de mais dinheiro e, por conta disso, vai te pedir por mais dinheiro!

Então, ao invés de dizer “NÃO! Sua mesada é fixa. Se contente com ela”, você pode negociar com o seu filho. Discuta com ele porque a mesada precisa aumentar. Será que precisa realmente aumentar? Será que ele não pode economizar? A palavra de ordem aqui deve ser converse! Converse com ele.

Essa é a mesma negociação que você provavelmente fará com o seu chefe ao pedir um aumento. Entendem a importância da mesada? Não é só sobre educação financeira. É sobre a vida.

Com a mesada você prepara seu filho para várias situações que ele irá se deparar na vida adulta.

Como ensinar a economizar? O exemplo precisa vir dos pais

Nesta fase da adolescência eu acho muito importante mostrar para o seu filho o quanto de dinheiro entra (seu salário) e o quanto sai (despesas). E por isso mesmo é importante que os pais tenham uma vida financeira saudável.

Até porque, como você vai ensinar algo que não pratica?

Na minha casa, por exemplo, minha mãe sempre deixou claro de quanto era o salário dela e de quanto eram os gastos da família. Gastos como gás, energia, mercado, escola … tudo mesmo. Isso foi muito importante para que eu e meu irmão entendêssemos de onde o dinheiro vinha e para onde o dinheiro ia.

Mostrar a sua vida financeira para os seus filhos é muito importante. Conte se você guarda algum dinheiro para a formação deles “Papai e mamãe guarda x ienes para a faculdade de vocês” (entenda quais são as despesas com faculdade e saiba como guardar dinheiro para o futuro dos seus filhos). Mostre isso para eles, envolva seus filhos na vida financeira da família, não deixe isso só entre os adultos.

E se você está com dificuldades de guardar dinheiro, já temos artigos excelentes aqui no blog. Aqui eu já te ensinei 5 passos simples para você começar a guardar dinheiro, como fazer com que o dinheiro guardado renda e também como economizar na conta de luz, entre tantos outros.   

“Você quer? Então faça acontecer” – minha adolescência

Na minha adolescência, mesmo antes dos arubaitos da vida e de ter o meu próprio dinheiro (aqui no Japão depois dos 16 anos você pode fazer Arubaito) eu recebia 500 ienes todos os dias para o meu almoço.

Minha mãe foi mãe solteira e não podia me dar mais do que 500 ienes de mesada. E o que eu fazia? Economizava. Economizava o máximo que conseguia.

Com os meus preciosos 500 ienes eu comprava um suco de 100 yen e um oniguiri de 100 yen (naquela época era bem mais barato que hoje) e me sobravam 300 ienes. O dinheiro que sobrava eu deixava guardadinho para gastar no final de semana com meus amigos. Afinal, eu só ganhava os 500 ienes nos dias letivos, final de semana eu não recebia nada. 

Dessa forma minha mãe me mostrou que você pode sim economizar. Não era porque ela me dava 500 ienes que eu precisava gastar todo ele. Hoje em dia eu vejo que poderia ter economizado muito mais! A Clarisse de hoje levaria comida de casa e economizaria os 500 ienes!! Mas tudo bem, aprendi uma lição.

Essa experiência para mim foi a base da minha educação financeira. Com ela eu pude aprender que sempre vale a pena poupar nosso dinheiro. É poupando que conseguimos alcançar nossos objetivos.

Outra experiência marcante da minha adolescência foi a minha ida ao Fujikyu.

Quando eu tinha mais ou menos uns 15 anos eu queria muito, mas muito mesmo, ir ao Fujikyu. Era realmente o meu sonho. Porém a situação financeira em casa não me permitia ir.

Mas eu não me dei por vencida!

Na época eu tinha uma amiga que também queria muito ir ao Fujikyu. Não demorou muito e combinamos de organizar uma excursão!  Mais que rápido eu “Bora! Só se for agora. Deixa comigo que eu organizo tudo”.

Eu sempre fui boa com números e organização. Fui atrás de todos os transportes da região. Descobri quanto eles cobravam a ida e a volta até o Fujikyu, quantas pessoas cabiam, qual época do ano era a mais barata … tudo, eu perguntei tudo.

Fiz uma lista de todas as empresas e seus valores. Comparando os preços achei uma que cabia no bolso. É como eu sempre digo pessoal, façam comparações de preço, façam simulações!!

Convidei todo mundo da minha sala de aula.

A família dessa minha amiga era enorme, metade do ônibus era da família dela. Com o ônibus cheio e eu minha amiga não precisamos pagar a nossa passagem. Foi isso que me permitiu ir. Percebam o poder de uma cotação de preço de qualidade (hahahaha).

O ônibus não era bem um ônibus, era mais um trailer. Tinha até karaokê … essa viagem foi incrível!!

A ida até o Fujikyu foi a minha primeira conquista da adolescência.

Eu quis uma coisa e batalhei, corri atrás para conseguir. E eu consegui através do meu próprio trabalho. Se eu não tivesse pesquisado os melhores preços e levado todas as pessoas que levei, eu não teria conseguido ir.

Essa também foi a primeira vez que eu fiz uma parceria.

Essa experiência foi um divisor de águas para mim. Me fez quem eu sou hoje. E eu tenho certeza que se você passar para o seu filho essa visão de que “Se você quer você tem que ir atrás” irá agregar muito na vida dele.

Você me reconhece? Sou a da direta, de bolsa branca 😀

Ensine o seu filho a fazer dinheiro e apresente aos Juros Compostos

Outro ponto importante que você pode ensinar aos seus filhos sobre educação financeira é como fazer dinheiro.

Se ele ainda é muito novo e não pode fazer Arubaito, você pode ensinar ele a vender produtos on-line, como o vídeo game dele (conheça 3 plataformas de vendas online). Que criança hoje em dia não tem um?

Mostre que ele pode vender os jogos que não gosta mais, ou então as roupas que já não servem mais. Assim você ensina ele a fazer dinheiro, e com o dinheiro gerado ele pode comprar outro jogo, ou investir (conheça agora um investimento ideal para shoshinsha).

Se você e seu filho pensarem um pouquinho, vocês encontrarão várias coisas que podem ser vendidas para gerar uma graninha extra (descubra 5 dicas para ganhar dinheiro em casa).

Outro ponto importante da educação financeira é mostrar que dinheiro gera dinheiro!

Mostre para o seu filho que ao investir dinheiro em um rendimento, este retornará mais dinheiro ainda. Principalmente se os juros compostos estiverem envolvidos.

Um dos pontos positivos do seu filho investir na Bolsa de Valores é que ele precisará estar antenado e atualizado sobre quais ações, Fundos de Investimentos ou de Títulos são melhores.

Veja que vai além da educação financeira. Ao se interessar pelo mundo dos investimentos, naturalmente irá surgir o interesse em ler jornais e escutar as notícias. E você sabe como isso é importante, não é?

E como vocês já devem estar carecas de saber, a primeira providencia que deve ser tomada ao investir é abrir uma conta em uma corretora (entenda mais sobre corretoras). Mas se atente ao fato de que se o seu filho tem menos de 20 anos, ele precisará usar a conta dos pais para que sirvam de titulares da conta.

Viu como é importante os pais terem uma vida financeira sadia? (esse artigo pode te ajudar). Se você já tem uma conta fica bem mais fácil para o seu filho abrir a dele.

Caso você ainda não tenha uma conta, não tem problema. Você pode clicar aqui e abrir uma conta agora na corretora SBI, a minha queridinha. Tenho certeza que além de não se arrepender, você ainda vai me agradecer no futuro!

Por último, gostaria de salientar que a vontade de investir precisa nascer do seu filho. De nada adianta você impor isso a ele. E ele só irá despertar se você mostrar para ele como o mundo dos investimentos e das finanças é maravilhoso e necessário!

O dinheiro é apenas um meio e é função dos pais ensinar aos filhos a importância da educação financeira!


Quero aproveitar esse espaço para agradecer muito os pais da Thata.

A amiga que cito aqui neste artigo, que foi minha primeira parceira, faleceu quando estávamos no E.M. Nunca tinha perdido alguém tão próximo assim. Gostaria de agradecer aos pais da Tata por terem me acolhida como filha. A amizade e o carinho de vocês foram muito importantes e eu nunca vou me esquecer. Obrigada!


Até o próximo artigo!

Se inscreva para futuras vagas do curso Shoshinsha Financeiro!

Não é inscrito ainda no canal? Se inscreva!

Acesse ao Blog

Me siga no Facebook e no Instagram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *